OFERECEMOS CURSOS LIVRES NA ÁREA DA SAÚDE

OFERECEMOS CURSOS LIVRES NA ÁREA DA SAÚDE

segunda-feira, 16 de junho de 2014

AVALIAÇÃO PRIMÁRIA DO SBV

A avaliação primária do SBV é uma abordagem sistemática que pode ser realizada por qualquer profissional de saúde treinado. Essa abordagem enfatiza a RCP e a desfibrilação. Ela não inclui intervenções avançadas, como as técnicas de estabelecimento e vias aéreas avançadas ou administração de medicamentos. O objetivo do SBV é dar suporte ou restabelecer circulação, boa oxigenação e ventilação, até que se possa restabelecer o retorno da circulação espontânea (RCE) ou iniciar as intervenções do SAVC. O bom desempenho da avaliação primária aumenta substancialmente as chances de sobrevivência e de uma boa evolução neurológica par ao paciente. Antes de iniciar avaliação primária você deve checar a responsividade do paciente, acionar o SME e solicitar o DEA.


A avaliação primária do SBV utiliza uma série de avaliações sequenciais. Cada avaliação é seguida  das ações  adequadas, se necessário. À medida que você avalia cada passo (circulação, abertura de vias aéreas, boa ventilação, desfibrilação) você deve realizar uma ação, se necessária antes de passar para o próximo passo da avaliação. As diretrizes de 2010 alteram as diretrizes de RCP de 2005 no que tange a sequência de avaliação/ação, passando de ABC para CAB (circulação, vias aéreas e respiração).



 
Os profissionais de saúde devem se esforçar ao máximo para minimizar quaisquer interrupções nas compressões torácicas. Tente limitar as interrupções nas compressões torácicas a não mais de 10 segundos, exceto para intervenções específicas (p. ex., desfibrilação, estabelecimento de uma via aérea avançada ou remoção do paciente de um ambiente perigoso). Quando você interrompe as compressões torácicas, o fluxo sanguíneo para o cérebro e coração diminui rapidamente e para.

Evite:
·        Analise prolongada do ritmo
·        Avaliações frequentes ou inadequadas do pulso
·        Demorar muito tempo para avaliar o paciente
·        Movimentar o paciente desnecessariamente